LeftRight

Monthly Archives : Julho 2007

LEXICON – Tradutor para Engenharia Civil

Glossários e Tradutores

Este Léxico multi-línguas da Sociedade ECCS-ESDEP, com termos técnicos para construção em aço e domínios afins, é o resultado de um trabalho de equipa.

Não foi preparado por linguistas, mas sim por técnicos altamente qualificados, para uso dos seus colegas de profissão, tradutores técnicos, intérpretes e, também, por professores e estudantes.

Não é um clássico dicionário tipo. Na sua presente versão não inclui definições ou desenhos explicativos. Implica necessariamente, portanto, um certo conhecimento por parte do utilizador, tanto de línguas como de técnicas.

O objectivo dos autores foi o de fornecer uma ferramenta fiável para a correcta compreensão da literatura estrangeira especializada e a escolha apropriada de termos para traduções. O seu interesse aumentará obviamente com a implementação dos Eurocódigos.

O número de termos presentemente incluídos no Léxico é de 4000 nas nove línguas seguintes:

  • Alemão
  • Espanho
  • Finlandês
  • Francês (com termos belgas e suíços)
  • Holandês (com termos flamengos)
  • Inglês (com especificações americanas)
  • Italiano
  • Português
  • Sueco

Download: Lexicon v2 (52.19Mb)

http://www.steelconstruct.com/ ,the european portal dedicated to steel in construction and architecture

termos tecnicos de engenharia civil em ingles,

Sistemas de Canalização – Dimensionamento, Instalação e Legislação

EdifíciosEngenharia

Publicação especialmente dedicada aos profissionais de instalação de redes de canalização, numa óptica de utilização do sistema Tubo de Aço Soldado Longitudinalmente preto / galvanizado e Acessório em ferro fundido maleável roscado preto / galvanizado.
DOWNLOAD

Ficha de especificações técnicas do sistema de canalização vocacionado para instalações de gás em edifícios, constituído por tubos de aço da marca FERPINTA e por acessórios roscados em fundição maleável das marcas EO e GE (Porfite).
DOWNLOAD 

Folha de Cálculo em “Excel” desenvolvida pela APTA, que possibilita de uma forma prática e rápida o Dimensionamento de Instalações de Gás para Edifícios utilizando o sistema de canalização: Tubos de Aço e Acessórios em fundição maleável roscados.
— FOLHA DE EXCEL 

1º Exemplo prático para utilização da Folha de Cálculo APTA de Dimensionamento de Instalações de Gás para Edifícios
DOWNLOAD

2º Exemplo prático para utilização da Folha de Cálculo APTA de Dimensionamento de Instalações de Gás para Edifícios
DOWNLOAD

Resumo dos principais componentes de uma instalação de gás para edifícios e a respectiva normalização Europeia aplicável.
DOWNLOAD

Informação técnica diversa, referente ao sistema de canalização constituído por tubos de aço soldados longitudinalmente e acessórios roscados em ferro maleável, com acabamentos preto ou galvanizado.
DOWNLOAD

Esclarecimento sobre a aplicabilidade do Decreto-Lei n.º 390/89 de 9 de Novembro, que obriga à prévia certificação da qualidade dos tubos e acessórios de aço e ferro fundido maleável para canalizações, com vista a assegurar uma eficaz protecção da saúde e segurança das pessoas e bens.
DOWNLOAD

Estes documentos pertencem à APTA – Associação de Produtores de Tubos e Acessórios, pelo que a sua aquisição deverá ser feita mediante prévio registo em http://www.apta.pt/

sistema de canalização, instalar aptade,

Estruturas de Suporte de Terras – Muros de Gravidade e Cortinas

EngenhariaGeotecnia

Muros de gravidade

São muros de pedra ou de betão, simples ou armado, dotados de uma sapata de fundação com ou sem consola inferior, saliência ou contrafortes. O peso do próprio muro, por vezes conjuntamente com massas estabilizadoras de solo ou rocha, desempenha uma função significativa na contenção. São exemplos deste tipo de estruturas os muros de gravidade de betão de espessura constante ou variável, os muros de betão armado em L ou T invertido e os muros de contrafortes;

Cortinas

São muros ou paredes de espessura relativamente reduzida, de aço, betão armado ou madeira, suportadas por ancoragens, escoras ou impulsos passivos do terreno. A resistência à flexão destas estruturas desempenha uma função significativa na contenção do terreno, sendo a contribuição do seu peso insignificante. São exemplos deste tipo de estruturas as cortinas de estacas pranchas autoportantes, as cortinas ancoradas ou escoradas de aço ou de betão e as paredes moldadas;

Estados limites a ter em consideração:

a) Perda de estabilidade global;

b) Rotura de um elemento estrutural (muro, ancoragem, dormente ou escora) ou da ligação entre elementos estruturais;

c) Rotura conjunta do terreno e de elementos estruturais;

d) Movimentos da estrutura de suporte que possam causar a rotura ou afectar a aparência ou a eficiente utilização quer da própria estrutura, quer de estruturas ou infra-estruturas vizinhas;

e) Repasses de água inaceitáveis através ou sob a parede;

f) Transporte em quantidade inaceitável de partículas do terreno através ou sob a parede;

g) Modificação inaceitável das condições de escoamento da água do terreno.

2. Devem considerar-se ainda os seguintes estados limites:

a) Para estruturas de suporte de gravidade e compósitas:

– rotura por insuficiente resistência do terreno de fundação,

– rotura por deslizamento pela base do muro,

– rotura por derrubamento do muro;

b) Para cortinas:

– rotura por rotação ou translação da parede ou de partes desta,

– rotura por perda de equilíbrio vertical da parede.

muros de suporte de terras, muro de gravidade, muros de gravidade, muro de suporte de terras, muros de suporte, muro gravidade, calculo de muro de suporte,