LeftRight

Category : Arquitectura

25 dicas para construir um edifício sustentável

ArquitecturaEngenharia

Comprar, construir ou arrendar uma casa é uma decisão que envolve muitas e importantes questões. Se pretende mudar de casa, eis a altura certa para olhar para o futuro espaço de forma mais sustentável. A Quercus elaborou uma lista de 25 sugestões, que irão contribuir para que a sua decisão seja o mais próxima dos seus padrões de conforto, “poupando na sua carteira” ao mesmo tempo que “poupa no ambiente”!

  • A localização de um edifício é muito importante no que respeita às necessidades térmicas do espaço interior. Estas necessidades estão contempladas no Regulamento de Características de Comportamento Térmico dos Edifícios (RCCTE), onde se apresentam estratégias que contribuem significativamente para a melhoria do desempenho térmico dos edifícios. Procure aconselhamento especializado para verificar se a casa que vai habitar cumpre este Regulamento tanto para a situação de Verão como para a situação de Inverno.
  • Prefira um local arejado com pouco trânsito automóvel, o que se traduz em menos poluição e, bem servido de transportes públicos, para que os possa usar em alternativa. Se lhe for possível habitar próximo do seu local de trabalho, desloque-se a pé. Far-lhe-á bem à saúde e contribuirá para um ambiente mais saudável.
  • O Sol é a nossa maior fonte de energia. Tire disso o melhor proveito escolhendo uma casa maioritariamente orientada a Sul de molde a minimizar consideravelmente as necessidades de aquecimento durante a estação de Inverno. A radiação solar incide nas janelas de vidro e aquece de forma natural o espaço interior.
  • Durante a estação de Verão, há que impedir o sol de incidir nas janelas voltadas a Sul, verifique se as janelas possuem uma protecção pelo lado exterior: uma pala, persiana ou até vegetação (de folha caduca no Inverno).
  • Se a casa que vai habitar tiver janelas orientadas a nascente (Este) ou poente (Oeste) necessita obrigatoriamente de persianas exteriores, pois é nestas orientações que o sol incide mais horizontalmente. É imperativo, durante a situação de Verão, correr estas persianas, protegendo o vidro, pela manhã a Nascente e ao final da tarde a Poente.
  • O lado Norte da casa deve ser reservado a W.C.s, arrumos, ou outras divisões que necessitem de poucas aberturas (ou mesmo nenhuma) para o exterior. É nesta orientação que se originam grandes perdas térmicas através do vidro durante a estação fria. Se for impossível a escolha de uma casa sem divisões orientadas a Norte, então tenha sempre presente esta questão.
  • As fachadas envidraçadas originam grandes ganhos térmicos na estação quente e perdas térmicas muito consideráveis durante a estação fria, o que implica sistemas de climatização adicionais para corrigir este efeito. A área de envidraçado de uma divisão não deve ultrapassar 15% da área de pavimento dessa divisão.
  • Devemos também tirar partido do sol no que respeita a iluminação. Prefira divisões iluminadas naturalmente para minimizar a necessidade de iluminação artificial. Existem no mercado equipamentos de transporte de luz natural para divisões não iluminadas. Este “transformador de luz natural”canaliza a luz do exterior para o interior.
  • Sempre que necessária a iluminação artificial, opte por lâmpadas de baixo consumo e por iluminação localizada (só apenas onde é de facto necessária). Esta iluminação deverá ser provida de dispositivos para regulação do ambiente luminoso.
  • Se a casa que vai habitar ainda não possui equipamentos electrodomésticos, prefira, sempre que possível, os de Classe A, mais eficientes no que respeita ao consumo de energia e ao contrário do que se pensa não são necessariamente mais caros.
  • A localização e orientação solar, bem como a construção do edifício, é determinante para se ter uma casa confortável, do ponto de vista térmico. Verifique na Ficha Técnica da Habitação (FTH) como são as paredes exteriores do edifício. Deverá optar por soluções de parede dupla com isolamento ou parede simples com isolamento pelo exterior da parede.
  • O isolamento térmico adequado é determinante para evitar perdas de calor no Inverno ou ganhos de calor no Verão, mantendo assim uma temperatura constante no interior de sua casa. Prefira um material de isolamento com um baixo índice de condutibilidade térmica (U-value), mas com baixo teor de energia incorporada (energia consumida desde a extracção da matéria prima até ao produto final).
  • Verifique as caixilharias e o vidro. Aquelas com corte térmico (são fabricadas de forma a promover uma redução da transmissão térmica entre 40% a 60%) e vidro duplo são as mais indicadas do ponto de vista de conservação de energia. No entanto, deverá optar por caixilharias com grelhas de ventilação, para facilitar a renovação do ar.
  • Dê especial importância aos materiais utilizados, preferindo os de baixo impacte ambiental, não só na sua produção, mas também ao longo da sua vida útil. Informe-se sobre o poder de reutilização ou reciclagem dos materiais utilizados na sua casa.
  • É importante escolher materiais homologados e/ou com marcação CE e, nos casos mais importantes, solicitar os certificados de conformidade de acordo com as especificações aplicáveis, emitidos por entidades idóneas e acreditadas, seguindo as instruções dos fabricantes para a aplicação dos mesmos.
  • Verifique se a cobertura do edifício (terraço ou telhado), está adequadamente isolada (poderá fazê-lo através da FTH). Prefira um isolamento imputrescível e resistente à água, preferencialmente colocado sobre a laje e sobre a camada de impermeabilização.
  • Se o pavimento de sua casa estiver em contacto com o solo, opte por isolantes térmicos imputrescíveis e resistentes à água, ou pavimentos com caixa-de-ar e devidamente impermeabilizados para evitar perdas térmicas ou outras patologias associadas através do solo (estas soluções construtivas devem vir explicadas na FTH).
  • A renovação do ar interior é muito importante para que se mantenham as condições de salubridade interior nos edifícios. Uma casa insuficientemente ventilada poderá gerar humidade através dos vapores que se formam, afectando o conforto ou mesmo a saúde dos habitantes. Verifique se as caixilharias possuem dispositivos que permitem a ventilação.
  • As cores utilizadas nas fachadas e coberturas também influenciam o conforto térmico. Seja selectivo na escolha da cor de sua casa, considerando que, as cores claras não absorvem tanto o calor como as cores mais escuras (enquanto uma fachada branca pode absorver só 25% do calor do sol, a mesma fachada, pintada com cor preta, pode absorver o calor do sol em 90%).
  • Se a casa que pensa habitar está provida de equipamentos que funcionam à base de energia renovável, tanto melhor! Se vai construir é altura de os aplicar. De entre os vários existentes no mercado destacam-se:
    • Colectores solares térmicos – Estes equipamentos captam a energia do Sol e transformam-na em calor, permitindo poupar até 70% da energia necessária para o aquecimento de água. O RCCTE diz que todos os edifícios novos com condições de exposição solar adequada serão obrigados a ter, sempre que seja tecnicamente viável.
    • Painéis solares fotovoltaicos – Estes painéis constituem uma das mais promissoras formas de aproveitamento de energia solar. Por meio do efeito fotovoltaico, a energia contida na luz do Sol é convertida em energia eléctrica. Estes sistemas podem ser utilizados em locais isolados, sem rede eléctrica, ou como sistemas ligados à rede.
    • Bombas de calor geotérmicas – São sistemas que aproveitam o calor do interior da Terra para o aquecimento do ambiente. Actuam como máquinas de transferência de calor. No Inverno, absorvem o calor da Terra e levam-no para sua casa. No Verão, funcionam como ar condicionado, retirando o calor de sua casa para arrefece-lo, no solo.
    • Mini-turbinas eólicas – A energia do vento acciona estes sistemas para fornecer electricidade a uma micro-escala. Embora as micro-turbinas eólicas mais comuns sejam colocadas no terreno, existem umas de pequena dimensão que podem ser colocadas no topo das habitações. Podem significar uma redução do consumo de electricidade de 50% a 90%.
    • Sistemas de aquecimento a biomassa – A biomassa pressupõe o aproveitamento da matéria orgânica (resíduos provenientes da limpeza das florestas, da agricultura e dos combustíveis resultantes da sua transformação). Em casa, este tipo de matéria pode ser utilizada, por exemplo, em sistemas de aquecimento, representando importantes vantagens económicas e ambientais.
  • Existem no mercado torneiras de regulação do fluxo de água, que permitem reduzir o caudal estimulando a poupança deste recurso. Se a casa que vai habitar não possui estas torneiras, existem peças acessórias redutoras de caudal.
  • Verifique se os autoclismos são providos de dispositivos de dupla descarga que induzem poupança de água. (Poderá ainda colocar quando possível, uma ou duas garrafas de água com areia no interior, dentro do depósito do seu autoclismo. Isso significa poupar até 3 litros de água por descarga).
  • Se vai construir a sua casa e tem terreno disponível, tem a possibilidade de a equipar com mini estações de tratamento de água ou mini cisternas de armazenamento de águas pluviais, para posteriores utilizações em descargas não potáveis (como regas de jardim, autoclismos ou lavagem de automóveis).
  • No caso de vir a habitar um edifício de vários condóminos, verifique se no prédio existe espaço destinado a contentores adequados à separação de resíduos domésticos.
  • Dentro de sua própria casa opte sempre por um depósito de resíduos domésticos com pelo menos três divisões para estimular a separação destes resíduos.

Para terminar, se tiver oportunidade de reabilitar em vez de construir de novo, e se essa opção for economicamente viável, está desde logo a ter uma atitude mais sustentável. Reabilitar um edifício existente possibilita a diminuição dos impactes resultantes da energia associada à produção de um novo e da extracção das respectivas matérias-primas, para além de contrariar a tendência do crescimento urbano excessivo e a ocupação e impermeabilização de novas áreas de solo importantes para a conservação dos valores e equilíbrios naturais e para as várias actividades humanas!

Fonte: http://www.quercus.pt «25 dicas para uma CASA MAIS SUSTENTÁVEL»

edifício sustentável,

A melhor cor para um ambiente em nossa casa ou local de trabalho

Arquitectura

Afinal, qual é a melhor cor para um ambiente em nossa casa ou local de trabalho?
Que cor não podemos ter em excesso numa decoração?
Qual ajudaria nos estudos e no trabalho?
Será que existe alguma cor para melhorar nosso relacionamento?
Qual a melhor cor para fachada nossa casa afinal?

cores para ambientes, melhores cores para sala, melhor cor para quarto, qual a melhor cor para pintar a sala, qual a melhor cor para pintar o quarto, cores de ambientes, cores e ambientes,

Maior ponte do mundo sobre o mar na China – Qingdao Haiwan Bridge

Obras emblemáticas

A China inaugurou a maior ponte do mundo – a Ponte Qingdao Haiwan, com um comprimento de quase 42 quilómetros que demoraram quatro anos a serem concluídos e representaram um custo de mais de mil milhões de euros.

A ponte, projetada pelo Shandong Gausu Group, faz a ligação entre a cidade e os subúrbios de Huangdao, na baía de Jiazhou, diminuindo a distância entre as cidades em cerca de 30 minutos.

Ponte 25 de Abril

EngenhariaObras emblemáticas

Uma das pontes mais emblemáticas de Portugal, a Ponte 25 de Abril – oficialmente designada como Ponte sobre o Tejo e inaugurada em 1966 com o nome Ponte Salazar, volta a entrar em obras com a realização de uma empreitada de trabalhos de reparação e conservação.
A United States Steel Export Company foi a companhia responsável pela construção da Ponte 25 de Abril, em 1962, a empreitada foi adjudicada à empresa americana, tendo sido inaugurada em 1966, sendo, na altura, a maior ponte suspensa da Europa.

Melhores Universidades e Politécnicos para Estudar em Portugal

ArquitecturaEngenhariaRanking

Se por um lado os rankings causam, no geral, grande polémica por serem cegos e considerarem apenas determinados parâmetros, é certo que são um bom ponto de partida, por isso, conheça de seguida um dos últimos rankings disponíveis sobre a qualidade do ensino superior em Portugal.

POSITION
WORLD RANK UNIVERSITY  SIZE  VISIBILITY  RICH FILES  SCHOLAR
79 Universidade do Porto 171 98 184 103

178 Universidade Técnica de Lisboa 426 319 174 134

260 Universidade de Coimbra 268 346 332 273

263 Universidade do Minho 159 545 262 212

361 Universidade de Lisboa 1,195 670 378 211

488 Universidade Nova de Lisboa 1,202 858 564 354

503 Universidade de Aveiro 562 1,283 963 219

722 Universidade Católica Portuguesa 1,881 443 989 1,187

781 Universidade de Évora 816 1,098 1,099 864

885 Universidade de Tras os Montes e Alto Douro 2,079 1,921 344 817

934 Instituto Politécnico do Porto 2,663 798 1,612 1,286

1002 Universidade da Beira Interior 2,761 1,801 1,394 929

1148 Instituto Politécnico de Lisboa 4,161 2,072 1,309 1,071

1148 Universidade do Algarve 985 3,355 914 974

1335 Universidade da Madeira 1,526 2,483 2,371 1,449

1371 Instituto Politécnico de Bragança 3,450 4,180 1,870 927

1404 Universidade dos Açores 2,598 3,609 1,586 1,261

1525 Instituto Superior Politécnico de Viseu 3,015 280 1,917 2,633

1531 Instituto Politécnico de Leiria 1,805 4,232 1,732 1,442

2172 Instituto Politécnico de Setúbal 3,095 1,158 2,931 3,693

2285 Universidade Fernando Pessoa 1,908 3,846 2,177 2,153

2293 Instituto Politécnico de Viana do Castelo 3,398 1,506 2,439 3,677

2321 Instituto Politécnico de Castelo Branco 2,610 2,991 2,347 2,393

2339 Instituto Politécnico de Tomar 3,514 2,130 2,616 2,892

2400 Instituto Politécnico de Santarém 923 3,451 2,430 2,579

2588 Instituto Superior de Engenharia de Lisboa 3,611 1,504 4,249 4,434

2588 Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias (3) 2,027 4,523 3,461 2,202

2845 Escola Superior de Educação de Coimbra 6,563 1,195 5,864 5,278

2877 Instituto Superior de Psicologia Aplicada 2,784 3,969 3,800 2,700

2935 Instituto Politécnico de Beja 4,686 3,957 1,752 2,995

3843 Instituto Politécnico de Guarda 7,323 6,969 3,259 2,298

4020 Instituto Politécnico de Coimbra 8,314 8,256 7,247 1,974

4492 ISCTE Instituto Universitário de Lisboa 1,027 12,933 5,831 1,923

5136 Escola Superior de Educação Paula Frassinetti 4,995 8,598 6,320 2,931

5229 Instituto Superior Politécnico de Gaya 3,500 7,579 6,003 4,254

5329 Universidade Portucalense Infante D Henrique 7,034 9,091 4,003 2,911

6084 Instituto Superior de Linguas e Administração Leiria 4,550 4,908 9,412 8,237

6273 Instituto Piaget 4,398 7,536 5,774 6,228

6443 Instituto Superior Miguel Torga       8,959 5,894 7,225 6,828

6446 Instituto Superior da Maia 10,061 6,860 5,173 5,907

6600 Escola Superior de Tecnología e Gestão de Portalegre 3,239 11,182 1,891 4,796

7326 Instituto de Artes Visuais, Design e Marketing 10,034 9,701 8,552 3,882

7331 Instituto Superior de Engenharia de Coimbra 3,974 10,494 3,484 6,053

7475 Escola Superior de Saúde de Portalegre 9,370 6,025 9,640 8,237

7546 Escola Superior Agrária de Coimbra 10,372 10,155 3,608 5,007

7608 Instituto Politécnico do Cavado e do Ave 3,604 10,996 3,882 6,053

8639 Instituto Politécnico de Portalegre 3,730 11,185 6,335 7,159

9098 Instituto Superior de Contabilidade e Administração de Coimbra 10,039 11,065 5,456 6,573

9209 Cooperativa de Ensino Superior, Politécnico e Universitario 11,254 9,615 5,505 8,237

9443 Universidade Autónoma de Lisboa 14,325 7,864 10,172 8,237
9605 Escola Superior de Música e Artes do Espectaculo 6,838 12,088 4,274 7,596

9782 Escola Superior de Enfermagem de Lisboa 12,615 13,121 6,704 4,315

9788 Escola Superior de Enfermagem do Porto 3,270 13,771 9,412 5,430

10134 Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril 4,691 11,835 5,703 9,576

10209 Instituto Superior de Linguas e Administração Lisboa 16,412 7,416 10,736 9,576

10209 Escola Superior de Saúde Egas Moniz (1) 11,918 10,927 5,944 8,237

10323 Instituto Superior Dom Afonso III 10,283 12,800 11,502 5,007

10535 Universidade Atlântica 1,567 15,001 5,090 7,159

10716 Escola Superior de Educação de Portalegre 3,993 12,506 7,785 9,576

10828 Instituto Superior de Educação e Ciências 9,942 10,998 12,044 8,237

11047 Escola Náutica Infante Dom Henrique 10,078 12,294 7,755 8,237

11119 Instituto Superior de Ciências Empresariais e Turismo 7,384 13,795 10,187 6,388

11152 Escuela Universitaria das Artes de Coimbra 5,084 11,260 14,174 9,576

11211 Instituto Superior de Gestão 9,819 11,331 9,967 9,576

11300 Escola Superior de Enfermagem de Coimbra 4,999 11,965 12,755 9,576

11346 Escola Superior de Saúde de Alcoitão 12,861 11,538 10,107 8,237

11346 Instituto Portugues de Administração de Marketing Aveiro / Porto / Lisboa 6,886 11,242 13,707 9,576

11530 Escola Superior de Tecnología da Saúde de Coimbra 10,643 12,147 7,996 9,576

11630 Escola Superior de Artes e Design Matosinhos 11,523 9,770 15,750 9,576

11838 Escola Superior Agrária de Elvas 8,649 12,485 10,569 9,576

12032 Academia Militar Portugal 13,323 11,980 9,222 9,576

12208 Universidade Aberta 7,675 12,322 14,240 9,576

12307 Instituto Superior de Saúde do Alto Ave 9,289 13,862 10,533 8,237

12425 Instituto Superior Novas Profissões 11,764 12,988 9,612 9,576

12638 Instituto Superior Bissaya Barreto 12,172 13,291 9,098 9,576

12839 Instituto Superior de Paços de Brandão 8,479 13,179 14,240 9,576

13234 Escola Superior Artistica do Porto 16,843 12,875 9,315 9,576

13553 Universidade Lusofona do Porto 8,784 12,334 18,143 9,576

14037 Instituto Superior de Gestão Bancaria 13,568 14,692 13,334 8,237

14049 Escola Superior de Educadores de Infância Maria Ulrich 16,719 14,536 12,315 7,596

14092 Instituto Superior de Ciências da Informação e de Administração 14,715 13,302 14,868 9,576

14402 Instituto de Estudos Superiores Financeiros e Fiscais 12,886 14,681 13,194 9,576

14460 Escola Superior de Educação João de Deus 15,674 14,012 13,400 9,576

14531 Escola Superior de Educação de Torres Novas 10,268 15,914 10,764 9,576

14576 Instituto de Estudos Superiores de Fafe 10,586 15,572 12,589 9,576

14641 Instituto Superior de Comunicaçao Empresarial 16,394 14,802 10,220 9,576

15049 Instituto Superior de Administração e Gestão 6,859 14,556 18,742 9,576

15167 Escola Superior Gallaecia 14,052 15,472 13,079 9,576

15195 Escola Superior de Enfermagem de São José de Cluny 7,172 15,255 17,631 9,576

15223 Instituto Superior de Tecnologías Avançadas Lisboa / Porto 18,846 13,930 14,203 9,576

15248 Escola Superior Artistica do Porto Guimaraes 15,781 14,881 14,240 9,576

15422 Escola Superior de Enfermagem de Vila Real 19,449 13,790 14,469 9,576

15540 Instituto Superior de Serviço Social do Porto 3,723 16,493 18,742 8,237

15777 Escola Naval da Marinha 16,455 15,037 15,539 9,576

15988 Escola Universitária Vasco da Gama 11,963 16,847 13,616 9,576

16086 Escola Superior de Educação Almeida Garret 13,127 15,190 18,143 9,576

16254 Instituto Superior de Administração e Línguas da Madeira 18,408 15,692 13,981 9,576

16355 Escola Superior de Tecnologías e Artes de Lisboa 19,666 14,065 16,555 9,576

16547 Escola Superior de Actividades Imobiliarias 14,496 15,678 17,631 9,576

16579 Universidades Lusíada de Lisboa 4,460 19,886 2,466 6,573

melhores universidades de portugal, ranking universidades portuguesas, ranking das universidades portuguesas, ranking universidades portuguesas 2011, ranking das universidades portuguesas 2011, melhor universidade de portugal, melhores politecnicos de portugal,

Proporção Áurea no NeuroMarketing

ArquitecturaCuriosidadese-Marketing

A Razão Áurea representa a mais agradável proporção entre dois segmentos ou duas medidas e foi uma ideia que Piet Mondrian partilhou com Leonardo Da Vinci, surgindo na maioria das suas obras.

O número de ouro (Phi maiúsculo) é um valor numérico aproximado de 1,618 e é considerado como uma oferta de Deus ao mundo, por ser símbolo de harmonia e representar a “proporção divina”.

qual a diferença entre divisão aurea e razão aurea ?,