Oficial: Radiação dos telemóveis é risco “possível cancerígeno para humanos” diz OMS

A radiação proveniente dos telemóveis foi classificada pela Agência Internacional para a Investivação sobre o Cancro (IARC), uma organização da OMS que se dedica a classificar diferentes substâncias, de químicos a alimentos, conforme o seu risco de provocar cancro, como um risco 2b um “possível cancerígeno para humanos”.

Depois de tanta polémica, e tendo em conta o impacto que uma notícia como esta poderá ter nas 5 biliões de subscrições de equipamentos móveis que se estimam existir, a Organização Mundial de Saúde (OMS) passou a adoptar «um princípio de cautela há muito defendido por alguns especialistas internacionais. Ou seja, o risco não é certo, mas é possível.»

 

“A IARC não apresentou uma quantificação dos níveis de exposição que podem provocar cancro. Mas citou um único estudo, feito em 2004, que sugere um aumento de 40 por cento no risco de desenvolver gliomas para pessoas que utilizem o telemóvel pelo menos 30 minutos por dia, ao longo de um período de dez anos” , destaca a edição do Público Online.

 

 

 

[callout1]

The evidence was reviewed critically, and overall evaluated as being limited2among users ofwireless telephones for glioma and acoustic neuroma, and inadequate to draw conclusions forother types of cancers. The evidence from the occupational and environmental exposuresmentioned above was similarly judged inadequate. The Working Group did not quantitate therisk; however, one study of past cell phone use (up to the year 2004), showed a 40% increasedrisk for gliomas in the highest category of heavy users (reported average: 30 minutes per dayover a 10‐year period).

[/callout1]

[button size="small" style="limegreen" url="http://www.iarc.fr/en/media-centre/pr/2011/pdfs/pr208_E.pdf" ]IARC – WHO - PRESS RELEASE N° 208, Lyon, France, May 31, 2011[/button]

 

Para mais informações, visite o portal monIT, sobre a monitorização de radiação electromagnética em comunicações móveis.